7 de jun de 2011

Brilho nos olhos



Quero apenas cinco coisas.
Primeiro é o amor sem fim.
A segunda é ver o outono.
A terceira é o grave inverno.
Em quarto lugar o verão.
A quinta coisa são teus olhos.
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser... sem que me olhes.
Abro mão da primavera para que continues me olhando.

Pablo Neruda


Lindo demais isso. Estava procurando algo assim para casar com essa imagem. O olhar nos diz tanta coisa. Tão bom quando conhecemos uma pessoa e passamos a nos comunicar com o olhar. Isso é tão raro. Há pessoas que passam anos juntas e não conseguem essa “química”. O olhar reprova, aprova, mente, diz a verdade, seduz, induz e outras infinidades de coisas... Mas eu acho que ele nunca pode perder o brilho. Isso serve pra tudo, e principalmente para o amor. Quando não há mais esse brilho no olhar, não há mais nada para ser dito. O olhar já denuncia tudo. É triste demais você não ver mais esse brilho na pessoa que você tanto ama. Então, chego a conclusão que a felicidade é diretamente proporcional ao brilho nos olhos. E uma coisa que não quero a essa altura da minha vida é ser infeliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário