12 de jun de 2011

O amor de agora

como dizer sempre
se o sempre é agora

basta ter nas mãos a carícia
o presente nos olhos
e o amor não demora

quem gosta da eternidade é a alma
o corpo não

o corpo se farta na chama
se espalha na chuva
se move entre mãos

quero dizer sempre
que o corpo é presente
é pele e é saliva
e o amor
o amor é agora

Cida Pedrosa


Achei lindo esse poema que foi publicado no Caderno Especial do jornal neste domingo. Me fez lembrar que eu tinha isso tudo. Tinha esse "agora" e essa urgência... Mas agora não tenho nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário